2°Resenha – Tegami Bachi

Metade das pessoas que eu conheço nunca assistiram ou sequer ouviram falar de Tegami Bachi, mas posso assegurar: Vale a pena ver.

Um anime sobre carteiros! Tão, ou até mais, criativo que Pinguins.

Eu fui atraída por algumas imagens que vi perdidas pela internet, uma mais bonita que outra. O anime é TÃO bem ambientado, tem cores tão belas e personagens tão adoráveis que dá vontade de ver um episódio atrás do outro (Detalhe para o fato que eu vi a primeira temporada de 24 episódios em apenas um dia)

O personagem principal é Lag Seeing, uma criança que foi separada de sua mãe e jogada ao relento, com um selo colado em seu braço.

Gauche Suede, um Tegami Bachi, é encarregado de entregar cartas e sua missão atual é entrega nada mais nada menos que Lag como uma encomenda para sua tia, única parente viva.

No começo os dois se estranham, brigam e é um sacrifício conseguir fazer Lag arredar o pé de onde está, mas logo se entendem e conseguem virar amigos (Mesmo Lag não dando muito o braço a torcer).

Durante a missão de entrega, eles se encontram com os Insetos Blindados, criaturas que quando capturam uma pessoa, sugam todo seu “coração” e deixam apenas um corpo vazio, incapaz até mesmo de piscar.

Gauche tem a arma para combatê-los, mas o preço por isso é uma fração de seu “coração” (sua humanidade, sua consciência, sua alma. Não tem muito bem um jeito de explicar).

Quando depois de muito sufoco e cansaço eles conseguem chegar até a casa da tia de Lag, eles se despendem aos prantos, jurando se encontrar de novo. Lag promete conseguir se tornar um Tegami Bachi para poder entregar cartas as pessoas junto de Gauche.

Aos 12 anos, ele presta um exame e consegue entrar para ser carteiro. Tudo está lindo e feliz…talvez nem tanto assim. Lag descobre logo que Gauche desapareceu e certamente já está morto. Revoltado, ele jura encontrar o rapaz que lhe trouxe tantas esperanças e começa a investigar seu misterioso sumiço.

Nesta caçada ele tem a ajuda de sua parceira Niche e o mascote Steak. Sem contar os diretores da colmeia ( Tegami Bachi significa litertalmente “Carteiro Abelha“)

Bom, a arte desse anime é simplesmente incrível. O mangá também tem uma arte maravilhosa, um traço sem igual e cada capa é uma obra de arte.

A história é bonita, tem algumas viagens (risos), mas no geral é bem coerente e bonita.

Lag encontra uma família na irmã de Gauche e nos outros carteiros, muito mais que simples amigos, ele encontra irmãos que os ajudam em tudo o que podem e que precisa.

Não sei se sou só eu, mas tenho certeza que o Lag é irmão perdido do Break de Pandora Hearts (risos)

 

Bye nee \o

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: